Um edifício é algo tão importante e valioso que não poderá estar à mercê da sorte. Cabe a todos a responsabilidade de prevenir os sinistros e limitar as suas consequências.

Por isso devem ser consideradas para a segurança de todos, os sistemas ou equipamentos: – Não fumar nos locais de maior risco de incêndio;
– Não fumar nos elevadores;
– Ter atenção às instalações elétricas, não as sobrecarregar, não utilizar equipamentos não regulamentares, não realizar reparações improvisadas ou provisórias;
– Realizar a recolha de lixo de forma periódica, sem armazenar um grande volume num espaço muito pequeno;
– Assegurar que existem extintores suficientes, em número e tipo, e que estejam localizados no sítio mais adequado;
– Garantir que existe sinalização de segurança no edifício, principalmente para os equipamentos de primeira intervenção e todos os outros dispositivos que possam ter de ser operados manualmente, bem como para as vias e caminhos de evacuação;
– Selecionar mentalmente os meios de extinção adequados e sua localização, prevendo possíveis situações de emergência;
– Comunicar à administração, da forma mais célere possível, qualquer anomalia que interfira com a segurança;
– Providenciar rapidamente todas as reparações que se mostrem necessárias;
– Afixar os contactos de emergência em pontos-chave do edifício (o indicado será uma folha de formato A5 para o interior da cada fração, e uma A4 junto dos acessos da entrada e pisos);
– Não colocar nada a obstruir a ação das portas “corta-fogo”, pois estas têm a função de impedir a passagem das chamas, fumos e gases para o outro lado da folha da porta;
– Garantir que as portas “corta-fogo”, os extintores, os carreteis de incêndio, a iluminação de emergência, a sinalização, a deteção e o alarme automático de incêndio têm manutenções e reparações feitas por empresas certificadas e registadas para o efeito (certificadas para a manutenção de extintores pela norma NP4413/2012, e para os restantes equipamentos pela norma NP 4513/2012);
– Não armazenar grandes quantidades de materiais em espaços de pequeno volume, tais como arrecadações, ou em lugares de garagem ou parqueamento de veículos;
– Não armazenar combustíveis líquidos e gasosos de natureza inflamável em quantidades que possam favorecer o início, desenvolvimento ou progressão de um incêndio.